sexta-feira, fevereiro 12, 2010

Estar doente


Com trabalho, preocupações, ensaios e stresses é bonito.

Hoje, levantei-me a custo, com o corpo a indicar que havia sido a piñata de uma festa mexicana qualquer do outro lado do oceano.

Constatei, feliz, que não estava fungosa, ao invés, cuspi duas ou três bolas de muco esverdeado, cobertas de sangue.

Tenho uma sede desgraçada mas não consigo engolir um pingo de água sem passar previamente pelo microondas. São farpas. As farpas de Ramalho Ortigão, todas elas alojadas na minha garganta.

Litros de chá, intercalados com Dafalgan ou mel e limão.

Tudo o que toco deve estar com índice de contaminação nuclear.

Bebo o chá, despejo imediatamente na caneca àgua a ferver e Sonasol, daquele que mantém as mãos macias, para que fique de quarentena na bancada, antes de ir à lexívia.

De seguida, dissolvo a pastilha de Dafalgan na caneca ao lado. Sim, é uma verdadeira linha industrial de montagem de canecas na bancada.

Reviro os olhos, franzo o nariz porque detesto o sabor amargo do medicamento, sustenho a respiração, pego na caneca do lado direito e emborco de uma vez todo o conteúdo.

Caneca errada, acabei de engolir um quarto de litro de Sonasol, daquele que deixa as mãos macias.
Posto tudo isto,

Será que, logo, conseguirei aparecer aos ensaios?

Será que, amanhã, serei verdadeira diva ou antes Popota fora de forma?

Será que vocês todos visitar-me-ão no hospital, com caixas encarnadas de bombons aos corações?
Será que, mais uma vez, perderei o dia dos namorados, por motivos de saúde?

São demasiadas dúvidas e os meus olhos já vislumbram arco-íris.

3 comentários:

Zaahirah disse...

Ó Xanita!! Se fores para o hospital eu juro que te levo uma caixa de bombons em forma de sapatilhas!!! :)

Ana C. disse...

ai que concordo perfeitamente, também estou doente .. aparentemente não tanto quanto tu, nem com tantas preocupações acrescidas .. mas sei isso o que custa ! Vai passar depressa, pensamento positivo e boa sorte para amamnhã :)*

Alexandra disse...

Zaahirah,

Já lamento não ter ido...

Ana C,

Obrigada!