quinta-feira, fevereiro 11, 2010

Sábado sou uma diva

Sim, o que é que julgam?


O pé levou um gigantesco tratamento de "fisioterapia", que incluiu fortalecê-lo à força com relevés e as pontitas novas (as tais Bloch Serenade Strong, cuja base de apoio é mais reduzida e puxa ainda mais pelo meu equilíbrio - abdominais).

Um mês de recuperação, propriamente dito, desde o reaprender a andar lentamente aos saltos e acrobacias que nem vos conto.

Não vos conto porque este Sábado vou demonstrá-los. Ah, pois é.

Sábado sou uma diva de mini saia, rendas e lantejoulas, nós lindas e fatais amarradas com fitas de cetim encarnado (Piroso é o último preto. Interiorizem.) e ele um trastre. Um sacana, com o love lockdown, in the closet, um get sexy desmesurado, quando ele aparece dá em bad romance, sem dúvida, não há cá videochamadas nem teleconferências, somos mesmo umas divas, o amor vai para o galheto, mas de forma muito pop.
Tudo muito urban striptease aerobics (googlem, youtubem, ora essa), num next level como quem diz, vamos lá misturar aqui outras coisas, não pode ser cabaret forever.

Entretanto, reencarnei de tal forma o personagem, sou tão diva que ontem baldei-me ao ensaio de Hip Hop para fazer ballet, só porque estava de mau humor. Se o meu professor ficou contente? Estou para ver que o Hip Hop ardeu, oh well, mais tempo para colar as pestanas falsas, yes I'm a diva.

E o que é que isto vos interessa?

Nada, pois claro mas fiquem a saber que os ensaios já deram em muita cotovelada e chapada, pontapé aqui, joelho esfolado alí, tudo para no Sábado ficar muito bonitinho e agradar ao nosso público, assim como quem diz, aos nossos namorados, amigos e familiares que literalmente ameaçamos, coagimos, obrigamos a por lá os pés. Também não é assim tão mau, no meio há sempre espaço para umas taças de mousse e perninhas de frango assado - ou feijoada (a explicação de distribuição de feijoada numa academia de dança envolveria muitos outros posts).

Além do mais, é sempre giro ver o ar de embasbacado dos namorados a olhar para nós como quem diz "quem és tu e porque é que não vejo esta faceta mais vezes?". É do striptease. Sem strip mas com urban lá pelo meio. "Oh, também quero dançar como uma Pussycat Doll!", disseram-me no outro dia.

É bonito, há muitos que torcem o nariz mas toda a mulher, mesmo secretamente, gostaria de libertar a sexy trashy woman que há em si, pelo menos num estúdio de dança.

Agora, tudo perfeito não fosse ontem deitar-me com um picozito na garganta. E hoje acordar com a cabeça a andar à roda. Vai de pastilhas Tantum, vai de mel com limão, vai de Dafalgan.
Há pouco, tirei a temperatura que marcava 36.8. Nada, dizem vocês. Esperem pela demora, digo eu.
Não, Universo! Não! Mau Universo! Para o castigo! Já tinha saudades da adrenalina de palco... Estava tão perfeita como diva. Botijas de àgua quente não combinam com diva, qual é a dúvida?
Enfim, se não me estatelar no meio do palco, serei aquela, a única sexy disfuncional Lady Gaga meets Rihanna espancada.
Entretanto, acabei de reler o post, atentem bem, os trinta são a nova adolescência e não permitam que vos convençam do contrário.

5 comentários:

Piston disse...

Mistura de galheiro com palheto?

Filipa disse...

Muita merda para Sábado! Vais arrasar em cima do palco ;)

Zaahirah disse...

Confesso que comentei com os meus botões que a quantidade de estrangeirismos neste post fazia com ele se assemelhasse a uma das conversas que ouço lá pelos balneários entre as tais pitas de 13/14 anos. Os meus botões não concordaram, mas pelos vistos tu sim! :D

Venha de lá essa festa de Carnaval!

Jedi Master Atomic disse...

Piston,

Dá galheto ou palheiro.

Alexandra,

Parte as 2 pernas, sabado :P

Alexandra disse...

Piston,

Acordo ortográfico.

Filipa,

Obrigada!

Zaahirah,

Não só os estrangeirismos, como o própri conteúdo. Foi mesmo a intenção.

Jedi,

Visto que já dei cabo de um pé, poso partir outra coisa? Talvez, uma unha?