quarta-feira, março 23, 2011

Post repetido por todo o lado e que a custo evitei





Sem sucesso e ainda bem.

O meu fascínio nunca foi por Marilyn Monroe, mesmo.

9 comentários:

Teresa disse...

Sabes que havia uma relação estreita entre as duas?
Tenho um livro fascinante que acompanha a par e passo os últimos três meses da vida de Marilyn, enquanto a produção ruinosa de Cleópatra deixava a Fox à beira da falência. Marilyn rodava na altura o inacabado Something's Got to Give e acabou por ser despedida. O resto é história.

Alexandra disse...

:-)

Sempre senti a Marilyn como uma "personagem" muito fraca. Nunca me despertou qualquer atenção.

Nem o físico, esta mania que tenho de que os loiros e branquinhos são insípidos. São bonitinhos mas não me transmitem calor.

Já a Liz, por todas as razões e mais alguma (incluindo as que descreveste no teu blogue), revelava-me beleza, sensualidade, calor, inteligência, bondade, humanidade. Existem belezas diferentes que revelam bondade e humanidade. Enfim, por muito que descreva não traduzo suficientemente o quanto aquela figura me fascinou desde pequena.

A disse...

e o artur agostinho? ninguém se lembra do artur agostinho!

Alexandra disse...

O Grilu falou disso, certo?

A disse...

não, o grilu liga tanto à bola como eu. o que é bastante pouco. mas temos que puxar pelo produto nacional!

Alexandra disse...

Não estás a falar do atum, pois não?

A disse...

estou a falar do bigode lusitano.

Alexandra disse...

O problema é mesmo esse.

Close up! disse...

Não era apenas mais uma "carinha laroca" do cinema...e isso diz tudo!