segunda-feira, janeiro 10, 2011

O Renatinho


É um fofo, um querido e tem muitas meninas à volta. O Renatinho, de vinte anos (um bébé inocente), foi à procura de um sonho. Aliás, a família até desconhecia que o objectivo da ida a NY não seria participar num desfile. Desconhecia quem organizou a viagem, quem o acompanhava, que merda, desconhecia quem lhe pagava as contas.

Pelo menos, têm sido as tormentas, as grandes preocupações que a família e os que o rodeavam tentam passar. O povo incluído. Fóruns, discussões e coitado do miúdo (gandulo?) que foi atrás de um sonho.

Se o meu Renatinho espancou, mutilou e matou uma pessoa não interessa. O que interessa é não ser rabeta, que se salve uma família disso! O horror!

Bem, pelo menos lá pôs o seu rabinho a salvo.

Ou não.

Vá lá, não escolheste um estado com pena de morte. Estiveste bem, miúdo.

Penitenciária é penitenciária em todo o lugar, Renatinho.

E há coisas que presidiários detestam e para tal têm códigos de honra: assassinos. Por outro lado, nenhum presidiário resiste a um bom rabinho com pele de bébé.

És macho, Renato! Se tu o dizes...

Bem sei que não é assunto sobre o qual me debruce neste foro mas juro que não aguento mais. Gente medíocre, paladina da virilidade de um jovem porque não chamar-lhe púbere e inocente, que ignora um acto tão monstruoso como o de matar -MATAR, só não vos mando morrer longe porque seria igual a vós. Que enfastiante seria, não acham? Eu também.

ADENDA: Está tudo muito bem, só falta a palavra nojo. Nojo. Já está. Obrigada.

17 comentários:

BUBBLES disse...

É muito triste andar toda a gente a defender uma pessoa que cometeu um homicídio monstruoso. Pobres de espírito. Povinho mediocre, é o que temos por este nosso Portugal.

Piston disse...

Are you coming back?

Cat disse...

Estiveste mesmo bem neste post. As pessoas não têm noção do que escrevem/dizem. Que importa a orientação sexual dos envolvidos? Houve um crime horrível e agora há uma pessoa que vai pagar por isso. É nisso que as pessoas se devem focar. Hello! Houve um crime.
E também já não posso com quem considera o Renato uma criança. Pelo amor da santa, ele tem 20 ou 21 anos.

Jedi Master Atomic disse...

Bem...eles nas prisões lixam a vida aos pedofilos, não aos assassinos.

Outra coisa....só se devia chamar assassino ao rapaz, DEPOIS de ele ser considerado culpado, não achas, advogada? :P

Me,myself & I! disse...

Nem mais!
Também falei disto no meu bog,mas
disseste tudo o que eu queria dizer,mas que nem sabia como...
E ele a dizer que "já não era mais homossexual"...
Por amor da Santa!

Alexandra disse...

Bubbles,

Exacto.

Piston,

Para a loja? Queria eu.

Cat,

Obrigada.

Jedi,

Errado.

Lixam a vida aos pedófilos, assassinos e todos os que cometam crimes com violência, sobretudo contra com mulheres e crianças mas também contra homens.

Jedi, fofo, não faças surgir a advogada que há em mim. Lê novamente, por favor. Onde o chamei de assassino?

Me,myself & I!,

Hoje uma amiga, confessou-se incrédula e considerou que o rapaz só poderia estar fora dele.

Agora eu questiono. Se me fizerem ou propuserem alguma coisa e eu vou agir fora de mim e, durante UMA HORA, vou espancar violentamente alguém, tentar sufocá-lo, agredi-lo mortalmente com um computador (durante uma hora, atenção, até que os braços, as pernas e as mãos me doam, quero lá saber, nem sinto, estou, ainda assim, fora de mim) e, depois de morto, pegar no saca-rolhas, enfiá-lo no olho da vítima e, não satisfeito, cortar os ditos, com o mesmo.

Não sei... Isto pode ser defeito de profissão mas para mim, estar fora de mim, é dar um safanão e acontecer um acidente. É dar um golpe ou dois quanto muito. É dar um tiro. Não é espancar violentamente durante uma hora e após ter morto a vítima, mutilá-la.

Cá para mim, ele estava muito dentro dele. Tanto que fez questão de dar a conhecer que não é gay.

Salve-se isso. O moço não é gay. Se matou, who cares!

(Queria ver se fosse uma prostituta a matar um cliente hetero, quais seriam as reacções.)

Isa disse...

Seriam as mesmas,só que no sentido inverso, suponho. Mas depois cá está (ou lá) aquilo que se tem por justiça pra resolver estas coisas.

Alexandra, surpreende-me que na tua experiência enquanto advogada não te tenha chegado ao conhecimento casos de pessoas que cometem estes actos tresloucados, exactamente da forma como dizes não crer possível. A violência exponencializada é denotativa disso. A mutilação post-mortem é outro exemplo.
Não são desculpas ao comportamento do rapaz, no link que fizeste, está lá escrito algures que o próprio CC desabafou com amigos os seus receios quanto à sanidade mental do companheiro.

Não estás de facto a acusar de assassinato ninguém, mas parece-me que estás a incorrer no mesmo erro que condenas. Afinal de contas o que devia interessar aqui é que uma pessoa morreu de uma forma horrível e outra, de facto, cometeu um duplo homicidio, porque a vida dele a partir daquele dia, simplesmente deixou de o ser.

Se formos a ver bem, nem sei quem terá morrido pior...

Jedi Master Atomic disse...

Sabes muito sobre a vida na prisão...hmmmmm....deve ser das tuas conections :P

Está varias vezes implicito no teu post sobre o rapaz cometer o acto, logo, posso inferir que o achas um assassino (não que eu não ache também).

Alexandra disse...

Isa,

Vamos lá esclarecer uma coisa.

Graças a Deus que a minha experiência em Penal limitou-se aos oficiosos durante o estágio (logo estes tipos de crime estão fora) e a um ou outro crime económico. Penal é muito giro mas na faculdade. Na prática, não só detesto como as minhas áreas são bem distantes.

Portanto, a "experiência" vem quanto muito do que me recordo dos livros, isto é, é zero.

Mas esta é uma forma de analisar o crime. Não será exclusiva, naturalmente, isso ficará para o julgamento, naturalmente, com todas as provas e intervenientes aos quais não temos acesso. Quero lá saber como julgam ou deixam de julgar. A questão aqui é tão somente o que aconteceu e o que tem dado ênfase. O ênfase tem sido a virilidade do rapaz. Tentar enxovalhar uma pessoa que sofreu uma violência atroz, simplesmente pelas suas preferências sexuais. Lógico que desconhecemos os contornos do caso, os factos mas nada, NADA justifica o acto. Fico pasma como, de repente, o rapaz é a vítima.

Portanto, quanto à tua conclusão, era precisamente aí que queria chegar.

Alguém cometeu um crime atroz, uma pessoa morreu, outra desgraçou a vida.

E desculpem lá se ao lerem este post, o façam sem pensar no humor. É que ele existe. Sempre existiu em 95% dos posts que escrevi ao longo destes anos. Aliás, o aviso está lá em cima.

Não quis flagelar o rapaz, mas desculpem, há muito que humorizar, para além dos apelidos dos envolvidos.

Jedi,

"Está varias vezes implicito no teu post sobre o rapaz cometer o acto, logo, posso inferir que o achas um assassino"

What? Ahahah! Que raio de raciocínio é esse? Ele não só é suspeito, como foi acusado e confessou o crime. Foi assim que foi referido. (Onde entra a minha opinião?)A minha opinião manifestou-se na questão das preocupações dos que o rodeiam e do próprio moço.

Vai brincar com o sabre de luz, vai.

Jedi Master Atomic disse...

Não sabia dessa dele se ter dado como culpado. Não tenho seguido isso. Nesse caso, my bad.

MORTE ao gajo !!! LOL

Alexandra disse...

Ler o link ajuda... Ajuda a compreender o post, também...

Jedi Master Atomic disse...

MORTEEEEEE !!! Que seja enrabado a sangue-frio :P

A Chata disse...

Ainda foi tomar uma banho a seguir e vestiu um fatinho fashion, púrpura...

pensamentosametro disse...

O rapazinho era um homicida nato à espera de acontecer. Se a coisa se tivesses dado por aqui, já estava em casa a comer o arroz doce da mãezinha. Pode parecer radical a minha forma de ver a coisa mas ninguém mata por impulso e tortura demoradamente com requintes de malvadez. Se estava farto e não gostava da "comida" como dizem os broncos amigos bastar-lhe-ia ter esperado um dia e regressar a Cantanhede. Por estas e por outras é que considero estes concursitos que fazem actores, cantores, "mordelos" feitos à pressa uma treta perigosa e irresponsável - conforme amostra junta...

Beijos grandes



Tita

ana disse...

Eu acho que é normal a família, amigos, etc. reagirem assim. Acho que qualquer pessoa envolvida emocionalmente no caso, na hora do choque, não iria acreditar que um familiar, amigo, etc. poderia ter cometido tal barbárie, especialmente se o rapaz não dava sinais de andar em caminhos estranhos, se lhes parecia um rapaz normal. Todos nós acabamos por estar sujeitos a um descontrolo que pode acontecer num momento, mas não pensamos nisso. E não estou a falar de um descontrolo ligeiro, acho que devemos ter noção de que há situações que geram uma escalada de violência que nós não imaginamos capaz. Se calhar não temos é a mente doente para chegar a isso, mas ele teve-a e por isso vai pagar pelo que fez.

Acho também que quando se fala na homossexualidade, ou não, do Renato Seabra, não é para o desculpar mas sim para se encontrar uma justificação para o caso. O que é facto é que ele o cometeu e vai ser condenado por isso. Mas seria conveniente saber em que condições. E a família quer, na sua emoção, dar a entender que ele poderia estar a ser de alguma forma ameaçado, mantido contra a vontade. Racional? Não, de todo. Mas é família. Será que todos não reagiríamos assim ao receber uma notícia daquelas?

Pondo a hipótese dele andar com o Carlos Castro por interesse, nem sendo homossexual, será fácil de perceber que a situação o colocou numa pressão psicológica que ele pode não ter aguentado. Se isso o iliba? Claro que não. Porque entrou numa situação para a fama a todo o custo e estando mal teria vindo embora. Mas penso que para a acusação e defesa, faz diferença saber em que condições aconteceu e as condições daquela relação acabam por ser importantes para descobrir-se isso. Para ele pagar exactamente por aquilo que fez.

Eu vejo as coisas assim, ignorando os petardos dos preconceituosos que esses são mesmo de ignorar.

Nota: não tenho relação qualquer com nenhum dos intervenientes e lamento imenso a morte do senhor, mais ainda a forma como sofreu.

Zaahirah disse...

Por amor da santa, Jedi! Enrabado a sangue frio deve ele ter sido milhares de vezes desde que se envolveu com o C.C. (e de livre vontade). Ele devia era ser castrado a sangue frio, isso sim, e nem era com um saca-rolhas era com abre-latas mesmo! humpf

Rita Lisboa disse...

Ohh YEAHH!!!! Finalmente um comentário normal!