sexta-feira, agosto 27, 2010

Alguém explica-me


Porque é que eu,

que sempre adorei crianças,

que tenho uma paciência de Job para as mesmas e não me aborreço nada ao cuidar delas,

que sempre fui A chamada para fazer de babysitter aos filhotes dos amigos,

que sou uma "child magnet", os putos adoram-me, nem preciso de abrir a boca ou conhecê-los para virem ter comigo para brincar,

que já passei pela experiência traumática de ter um miúdo de dois anos a chamar-me de mãe, em plena via pública, em frente ao pai e outros transeuntes que se encontravam presentes, noto, ser chamada de mãe, correr para mim e recusar-se a voltar com o pai, fazendo uma birra que não só foi feia como também muito traumatizante para os envolvidos,

que, pelo amor de Deus, estou nos trintas, deveria ter o relógio biológico aos cucos e em ebulição, vontades de jogar a pílula no lixo, furar tudo o que é preservativo à machadada e copular com todos os homens que aparecessem à minha frente, até acertar e encher a barriga,

Alguém explica, então, porque é que cada vez estou mais aterrorizada em vir a ter filhos, chegando ao ponto de ter pesadelos e ver a minha vida toda a andar para trás se tal acontecesse?

E algo que sempre me pareceu natural, desejável e justificável (Está mais que sabido que serei uma excelente progenitora e educadora.) tornou-se agora numa angústia sem fim?

Angústia, mesmo sabendo que não tenho namorado, que não sofro de paixão nem por um guardanapo e que, dada a minha vida social, a probabilidade de voltar a ter sexo ronda lá para 2038?

Eu quero muito.

Mas um cão.

17 comentários:

Anónimo disse...

Só faltam 28 anos, tem calma

:P

Alexandra disse...

28 anos para ter um cão?

Ventania disse...

Acho que se chama sensatez (ou será sabedoria?). ;) Não te preocupes e toma lá a chapinha #4.566.565 de membro do clube. ;)

nils disse...

Fuja dessa ideia do cão. Tenho aqui um emprestado, a fazer as férias de um amigo, e aconselho vivamente a adoptar/conceber... um alien que seja. Tudo menos um cão.

Anónimo disse...

Freud explica melhor...mas tem haver com a certeza dos sentimentos,com saberes de que com um cão só muito dificilmente se falha, e com humanos nunca se sabe.
Tenho 2 goldens e estou-me a cagar para o freud, mas sei da teoria toda.

Anónimo disse...

Freud explica melhor...mas tem haver com a certeza dos sentimentos,com saberes de que com um cão só muito dificilmente se falha, e com humanos nunca se sabe.
Tenho 2 goldens e estou-me a cagar para o freud, mas sei da teoria toda.

Sofia. disse...

Ora cá está algo que poderia ser eu a escrever.
Sinto-me exatamente da mesma forma Alexandra e repara que eu sou professora e lido com crianças todos os dias, menos ao fim-de-semana, e tenho uma paciência enorme para elas (que remédio).
São fases, acho. Pode é ser uma fase um pouco mais longa. Mas não estás sozinha, garanto-te. :)

The Indian Railway disse...

No outro dia sonhei que estava grávida, senti-me tão desesperada, punha as mãos na cabeça e dizia sem parar e agora, e agora o que vai ser de mim, como é que vai ser a minha vida com uma criança para cuidar. Um alivio quando acordei. Deve ser por causa dos meus vizinhos de baixo, estão os dois a desaparecer do mapa, têm 2 filhos pequenos, a sério, aquilo dá pena, de cada vez que passo à porta deles há gritaria...

Zaahirah disse...

O meu relógio biológico não está parado, está morto mesmo. E para veres o estado da situação, aqui há tempo acordei banhada em suor e aos gritos porque tinha acabado de dar à luz... um papagaio! -.- E fica sabendo que parir um papagaio dói comó caraças!!

(a parte do bicho ter rosto humano já é um bocado mais freak...)

Miss. Chocolate com Pimenta disse...

LOL
Tive que me rir com este post.
Acho que não vale a pena pensares no assunto... se sonhas com ele, é porque te incomoda.

O que tiver que ser, será.
Sim, um cão é uma óptima ideia, mas não substitui :)

A disse...

bem, que coincidência... no outro dia também sonhei que estava grávido.


agora tenho uma dúvida. a palavra "grávido", existe?

A disse...

...o dicionário da priberam diz que sim. por outro lado diz que "eu chovo" não existe.

Jedi Master Atomic disse...

Isso é porque ainda não conheceste o gajo certo, aquele que te vai fazer querer ficar prenha.

Mas olha, enquanto isso não acontece vai fazendo o que sugere a verificação de palavras.

PS: Verificação de palavras: "queekie"...looooool

Alexandra disse...

Ventania,

Ufa!

Nils,

Que disparate! Provavelmente não tem gosto pelos animais (ou o meu gosto). Presença de um animal só acrescenta, se soubermos acolhê-lo como precisa (Não me refiro só ao tecto, comida e água.).

Anónimo,

Errou redondinho. Para mim, teorias de Freud vão directamente para o lixo, sem passar pela casa dos consumíveis.

Medo de falhar não é coisa que me assole. Antes fosse. Teria a cabeça com menos galos. E os Goldens vão ter filhotes? Um Golden na minha casa seria o mesmo que um elefante numa loja de cristais. Ainda assim, adoro o temperamento.

Sofia.,

A minha mãe foi professora (está reformada) e eu, em criança, costumava dizer-lhe (quando queria implicar) que ela, como aturava os filhos dos outros, não tinha paciência para nós.

The Indian Railway,

Ora aí está! São pesadelos!

Alexandra disse...

Zaahirah,

Adorei!

Miss. Chocolate com Pimenta,

O cão não é para substituir. É um sonho que sempre tive. Isso e de ter um filho adoptado. Confuso?

A,

O Arnold passou por isso. Deve ter sido nessa altura que mudaram o dicionário.

Jedi,


Prenha é coisa que nenhum "gajo" vai fazer com que queira ficar.

Nem prenha nem gajo.

Sim, é um problema de forma. O conteúdo, por ora é o que se suscita no post.

Pulha Garcia disse...

O curioso é que muita gente que se propõe para ser pai, falha miseravelmente. Ser pai é uma responsabilidade que se assume. Eu gostava de ser pai mas se o fosse teria que mudar a minha vida toda, o que neste momento é uma impossibilidade.

Alexandra disse...

Impossibilidade não digo. Talvez indisponibilidade.