sexta-feira, julho 16, 2010

Por esta altura,


(foto: Napoleão na UZ)*

Já devia ter escrito mais um post, triste como os anteriores, para reforçar aquela ideia de que, quando estamos cinzentos, escrevemos o mundo.

Que vos dizer? Está tudo na mesma, continuo a senti-lo a saltar para o meu ombro, continuo a ouvi-lo chamar, desta feita mais verdade visto que não paro de ver as muitas gravações de vídeo que dele fiz.

Por outro lado, tenho sido assídua das páginas da União Zoófila e tantas outras que se dedicam à adopção de animais que tiveram uma história triste. Comprar está fora de questão.**

Volvidos quase trinta anos de tentativas, estou a um pequenito passo de convencer a casa de que precisamos é de um cão.

Não me levem a mal, a adoração por aquelas pequenas aves é gigante mas tratar delas quando estão doentes é uma tarefa herculínea e desesperante (Imaginem só o que é obrigá-los a comer quando não querem e administrar-lhes medicamento ao bico.).

Não que um cão dê menos trabalho mas pode ser operado, pode ser submetido a uma série de procedimentos que o salvarão, os mesmos que, por ora, serão impensáveis numa ave tão pequena.

Assim, já conheço a maioria daqueles cães de cor.

Está complicado.

Não é ser esquisita. Gosto de todos. Novos, velhos, rafeiros, de raça, portentos, apalhaçados. Todos. Sou incapaz de escolher.

Verdadeira Maria lambona.

Estou para ver o dia que entrarei naquele espaço.

Passar-se-á exactamente o que se sucedia quando tinha sete anos e apanhava os cães na rua, às escondidas dos meus pais.

Resgatarei uns sete ou oito para casa (Estou a exagerar. No mínimo, levarei uns vinte.) e ficarei de castigo por uma eternidade.






* "O Napoleão foi vítima da maldade humana. Foi encontrado com um fio de aço no pescoço, fruto de uma tentativa de enforcamento...esteve meses com o fio cravado no pescoço. Foi finalmente resgatado, e recupera agora de um grande trauma. É por isso compreensível a tristeza que espelha no olhar." Foi operado e recuperou. Está bem fisicamente. Não tem qualquer problema nas patas. Ele anda desde que as pessoas não estejam perto. Quando se aproxima alguém, deita-se imediatamente e paralisa.


**Não é a crise. Existem tantos avidos e necessitados de abrigo e carinho que a compra chega a ser imoral. Já sei, os labradores são lindos mas não quero um animal para ter estatuto. Além do mais, é uma raça que, pelas suas características, necessita de imensa atenção e não devem ficar sozinhos muitas horas.

Para os que estão a pensar dar o mesmo passo que eu e mesmo para os que nunca pensaram no assunto, ficam alguns sites onde podem ver alguns dos animais que precisam de ajuda.


http://www.uniaozoofila.org/

http://www.facebook.com/pages/Uniao-Zoofila/157983395310

http://www.adopta-me.org/

http://arcadenoe.sapo.pt/

http://www.abra.org.pt/html/

http://www.refugiodaspatinhas.org/


Campanha UZ: http://www.ajudaumamigo.com/


E agora podem vir os nojentinhos dos anónimos dizer "Agora que lhe morreu o bicho é que se lembra que existem animais para adoptar, blá, blá..." Venham, que chego para todos.

21 comentários:

Queen of Hearts disse...

Concordo contigo em pleno, nunca hei-de comprar um animal, agora que estou mais "próxima" da realidade destes animais que tanto precisam da nossa ajuda... Posso deixar também um link (de entre tantos que existem), para a zona de Braga? http://www.abra.org.pt/html/ (ABRA - Associação Bracarense Amigos dos Animais).

A história do Napoleão fez-me chorar como já algum tempo não acontecia. Que trauma, pobrezinho. :(

Alexandra disse...

A Abra é excelente! Vou adicionar, obrigada!

BUBBLES disse...

Infelizmente, esta realidade é chocante no nosso país. Tenho 5 cães, 2 deles "adoptados". Não lhes resisto, e tenho pena de não ter mais tempo para ajudar todos os que "vivem na rua".
Espero que o napoleão encontre um lar onde tratem dele com mt carinho*

A disse...

putas das pessoas.

Cate disse...

Também já conhecia essa história do Napoleão, é horrível como há pessoas com coragem para provocarem tanta dor e sofrimento num animal inocente.
Há 6 anos atrás adoptei um cachorrinho no Canil Municipal de Lisboa (o sítio mais horrível que já visitei na minha vida, um verdadeiro corredor da morte), mas dois meses mais tarde descobriu-se que tinha esgana e morreu. Foi um desgosto enorme. Nessa altura, ofereceram-me um cachorro novo, um beagle, comprado numa quinta. Dá um trabalhão, mas eu adoro-o. No entanto, a verdade é que me fica sempre aquela vontade de ir a uma institução adoptar um bichinho, esses precisam mais do que todos os outros. Tivesse eu uma casa maior e já o tinha feito, além do meu beagle (cão muito utilizado na caça e também muito sujeito a ser maltratado e abandonado se não tiver jeito para a coisa), já tinha mais um cão. Ou dois. :)

Gi disse...

Vai em frente, Alex.
A minha cunhada também adoptou a minha sobrinha Lucky, quando morreu o seu cão (irmão de um dos meus), que passou por maus tratos atrozes.
Nesta altura é a mais feliz das cadelas e é uma casa cheia.

Jedi Master Atomic disse...

Comprar animais era só o que faltava. Com tantos por aí que precisam dum lar.

Espiral disse...

Tenho um cão ha 6 meses, muito querido rafeiro.
A minha primeira ideia era ir à união zoofila, mas depois soube de uma rapariga desesperada para dar os 4 caezinhos da cadela dela.

E lá fui eu fazer uma viagem de mais de 100 kms para ir buscar um cão, a um domingo de manha, arrastando uma amiga comigo.

E valeu a pena =)

Boa sorte com o cão =)

(eu demorei 24 anos a convencer os meus pais.)

Espiral disse...

Já agora divulgem =)

Uma campanha da união zoofila (feita onde trabalho ^^)

http://www.ajudaumamigo.com/

Alexandra disse...

Obrigada, Espiral. Vou acrescentar à lista.

Isto do convencer afinal está mais difícil do que pensava...

grassa disse...

Chavala, também costumo ir de forma razoavelmente assídua à UZ, e contaram-me a história do Napoleão lá e ya: dêem-me arame farpado e os putos responsáveis pela acção e eu mostro-vos o que é uma tarde bem passada.

El Guru disse...

Podes acrescentar este na lista?

http://www.refugiodaspatinhas.org/

Obrigado!


A história do Napoleão é parecida com esta :http://www.refugiodaspatinhas.org/adopcao/meninas/bruna

Grassa, se quiseres ajuda é só dizer!

El Guru disse...

Link completo:
http://www.refugiodaspatinhas.org/adopcao/meninas/bruna

El Guru disse...

Porra...
É só acrescentar "bruna" ...

A disse...

bruna

El Guru disse...

Foda-se, és o maior! Por isso é que és "A" e não "a" !!!

A disse...

foi a bruna, subitamente sabia como fazer links.

aquilo não se faz a ninguém, muito menos a um cão. tanta merda sobre o caralho que as foda, e as pessoas continuam a falhar naquilo que supostamente é tão simples.

Alexandra disse...

Acrescentarei sim!

Que coisa mais linda! Por outro lado, adoraria apanhar o(s) canalha(s) em flagrante delito. Não só exercitaria o meu kung Fu, como seria caso para concorrer à pena até 2 anos de prisão pela crueldade.

Estou com um problema grave que é o de convencer o meu pai. Afinal, não está a ser tão fácil como pensava.

Caso contrário, essa menina poderia dizer que já tem dono. É um amor!

El Guru disse...

Já tentaste pôr o teu pai a ver estas páginas e ler as histórias destes animais?

Terapia de choque costuma resultar.

El Guru disse...

A, concordo contigo. Infelizmente ainda estamos muito atrasados em termos de civismo e educação.

Niki disse...

Também tenho seguido a história do Napoleão e tantas outras de puro horror.
Acho louvável que desejes adoptar um cão, ao invés de o comprar, e acho também que a Bruna é um doce irresistível.

Todos os meus cães foram adoptados e são a melhor coisa do mundo (a par dos beijos do meu marido e do meu filho). :)

Boa sorte a convencer o teu pai.