segunda-feira, junho 18, 2007

Previsões desastrosas

Fez esta sexta-feira duas semanas que fui a um cartomante.

Já lá tinha ido. A catapulta de confirmações sucessivas e rigorosas das previsões do vidente revelou que o ancião é tudo menos um charlatão. Todavia, efeito inverso ao desejado. Nunca mais lá pus os pés. Isto de saber antecipadamente o que vai acontecer mete muito respeitinho e muita miúfa e as pernas varejam só de pensar em voltar a enfrentar aquelas palavras certeiras e inequívocas.

Ainda assim, estava na hora de renascer a Xana corajosa. A super-mulher que não admite um apalpão e corre atrás do atrevido para o esmurrar violentamente, a super-mulher que desafia os poderes do açúcar. Afinal, és uma mulher ou uma avestruz?

Inspirei fundo, espetei o peito para fora. As varas verdes a tremer. Comi o Nestum, retesei os bíceps, qual Chuck Norris a enfrentar cinco bandidos armados até aos dentes, munido apenas de um lenço côr-de-rosa de cetim, e lá voltei ao mundo esotérico.

Estava tudo a correr bem, as cartas espalhadas à minha frente a velocidade supersónica, até que o ancião esboça um sorriso.

- Tem aqui um período muito bom da sua vida. Entre 2008-2010 vai casar-se ou juntar-se e até surge a possibilidade de ter um filho.

Embalada na voz tranquila do vidente, tenho um soluço estrangulador e esbugalho os olhos de peixe morto.

- O QUÊ???? CASAR???? NÃOOOO!!!!!!!!!!!!!

Saí de lá a correr, sem pagar a consulta, rogando pragas ao dito.

A partir daí, mandei o S. Pedro para a reforma. Desconfio ser a responsável pelo dilúvio que assola o país. Para não correr riscos, apaguei todos os contactos masculinos do telemóvel e enterrei-o no fundo do quintal da casa no Alentejo, a quatro metros do chão, junto aos restos mortais do Tareco e do Pom-Pom, que descansem em paz.

Desde então, para evitar conhecer qualquer espécime que seja, barriquei-me debaixo da cama e recuso-me a atender a porta. Não vá o diabo tecê-las e enviar-me o dito marido sob a forma de estafeta da Telepizza ou vendedor do Círculo de Leitores.

Trouxe a lanterna, o p.c., a cassete da Jane Fonda e não saio daqui por nada. A minha mãe empurra-me as refeições cá para baixo com uma vassoura, que degluto ferverosamente, entre espasmos nervosos. As únicas notícias que a minha família tem de mim são as tijelas devolvidas com os ossos roídinhos até ao tutano, guardadas religiosamente com carinho e saudade.

Avestruz? Pior... Pior...

16 comentários:

tavguinu disse...

uiiii...

que só faltam 6 mesitos para o começo da nova época ...lol

Ana disse...

Ah! Ah! Ah!

Casamento e possibilidade de filhos...em dois anos! Boa! Não é para todos...para mim, não é, de concerteza!

Alexandra disse...

Tavguinu,

Exacto! Medo! Terror!

Ana,

É o que eu sempre digo! Lá para os quarenta e poucos...

Picas disse...

Eu cá recomendo vivamente o casamento!!! Não há nada como experimentar! E olha que eu também tinha cá uma alergia...

Ana disse...

Nã, Nã....

Quarenta e poucos é ainda muito cedo...
Talvez case lá para os oitenta e poucos, noventa... Crianças são belas, lindas, queridas, e essas coisas todas...desde que filhas dos outros!

Alexandra disse...

Ai, Picas Maria...

O não não é assim tão peremptório... É só um não pelos próximos quinze anos!

Já disse que não saio daqui! Só preciso que alguém me compre pilhas para o raio da lanterna que já começa a dar de si...

wednesday disse...

Já imaginaste que em desespero a tua família pode mandar aí os bombeiros e o teu marido pode mto bem ser o bombeiro herói?

Alexandra disse...

Ahahahah!

Se for preciso, salto pela janela, ignorando o 6º andar!

Alexandra disse...

Ai... também não! Ou me aparece o INEM ou o tipo da funerária...

pensamentosametro disse...

Então? que é isso? medo do casamento? o casamento não morde e eu concordo com a Picas recomendo vivamente, nem tudo sáo rosas mas arranjam-se umas margaridas a maior parte do tempo...

coragem

Tita

Alexandra disse...

Vocês querem é que eu pare de chorar para terem um verão minimamente decente...

Estrellinha disse...

Imagina o que é viver 24 horas sobre 24 horas com um médium...
Estavas tramada!

PS: ADORO O TEU BLOG!

Curiosa disse...

Ó Xaninha, se fosse a ti enfrentava o touro pelos cornos! Nada a perder. Olha para mim agora tão feliz que ando. Dessa já me safei, eheh!
Fiquei imune e já não preciso de me camuflar por aí, vês???
;))

Alexandra disse...

Tu vives com um médium???

Credo! Não podia partir uma chávena que ele sabia logo que era eu!

Obrigada!

Curiosa,

Pois... Como é que eu hei-de explicar...

Estás a ver uma pessoa que tem pesadelos em que o namorado a está a pedir em casamento e ela grita "Não! Tenho que terminar a faculdade primeiro!" (e a dita mais que terminada)? E que depois acorda com um nó na garganta, como se tivesse sido estrangulada durante a noite?

Já me aconteceu... :-D

holmoleta disse...

oh meu deus!!! é assim tão mal encontrar alguém? para alem do mais, sempre podes alterar isso, sem ser preciso passares a ser uma freira inclausurada! XD

Alexandra disse...

Claro que não! Mas assim tem muito mais piada! Ainda vou mudar aquelas figuirinhas dos bolos de noiva em que é o homem quem tem a corda ao pescoço...