quinta-feira, abril 12, 2007

Os homens gostam é das badalhocas

Não obstante ter ficado apeada porque o meu caridoso irmão levou o jipe para o Alentejo, enquanto vocês percorriam as procissões, osculavam os pés da figura do menino Jesus e aturavam os duzentos primos que não conhecem, a menina aqui rodopiava na Convenção de Fitness, que se realizou em Porto Salvo.

Terminada a aula de Hip Hop do Raul (e que aula), estava um pitéu, uma verdadeira princesinha. Corpo e cabelos encharcados, faces tão ruborizadas que fariam inveja a muita beringela suculenta que há por aí à venda, um cruzamento de cheiro de cavalariças com suíno, num dia de 44º graus à sombra sem àgua.

Deixando um rasto de gotas gordas de suor pelo chão, lá me arrastei, quase de gatas, para o balneário. Lavei bem o rosto, limpei-me (com toalhetes, pois estava lá capaz de enfrentar jactos de àgua gelada), mudei de roupa, prendi o cabelo e fiz-me à estrada.

Aguardava espojada no assento da paragem, quando comecei a sofrer descaradas investidas dos mosquitos nas minhas calças verde lima da Susana Gateira. "Esta cor faz sempre um sucesso", pensei para comigo.

Mais investidas. Olho à minha volta. Relva molhada e mercado municipal. "Se não encontrasse mosquitos é que era estranho!"

(Interiormente, lá pensei "Será...? Onde é que eu puz a amostra de perfume??" Pânico!!!)

Ah, pois... a viagem...

Para meu espanto, no combóio, sentou-se imediatamente um homem ao meu lado. Piscou-me o olho e adormeceu com a cabeça aninhada sobre o meu ombro. Por pouco, não me agarrou, abraçou e me gritou sua. Do outro lado, três jovens exibiam cartazes com números de telefone, esbracejavam e faziam sinaléticas para lhes ligar. "Princesa, beija-me outra vez", era a música mais trauteada nas carruagens.

Não sei se seduzidos pelos vincos da roupa que passou um dia embrechada no fundo da mochila e pela pele desidratada do rosto, ou se pelas duas moscas que esvoaçavam sobre o meu cocuruto, TODOS os indivíduos de sexo masculino que se cruzaram comigo me cumprimentaram, sorrindo e acenando. Dois sujeitos protagonizaram uma cena de pugilato para se sentarem ao meu lado. Outro ia arrancando o sobrolho do amigo à dentada para se sentar à minha frente.

Cheguei a casa com cinco rascunhos de números de telefone no bolso, três flores arrancadas à socapa dos canteiros públicos e meio Bolicao de chocolate.

Moral da história: A mulher arranjada, perfumada, maquilhada, elegante e de saltos altos foi para a sarjeta.

P.S.1 - Os factos acima descritos são pura ficção e não deverão ser confundidos com quaisquer pouco eventuais e residuais semelhanças com a realidade.

P.S.2- "A lady never tells". Seja sob a tortura de estar amarrada pelos mindinhos, com uma lata de leite condensado à frente da vista e a fazerem-lhe cócegas nos sovacos ou nas plantas dos delicados pés. Seja através de "alviçaras", como um par de sapatos novos da Pablo Fuster ou uma viagem às Seichelles. Não conto!

12 comentários:

às vezes Ele, às vezes Ela disse...

Não só mas também...
;-)

Ele

Curiosa disse...

Ahahahah, já deu para me rir hoje e ainda não conhece este blog de fio a pavio.
Acho que a partir de hoje só vou visitar blogs animados como este, pq para tristeza já chega o meu estado e o do blog.
Mas isto vai dar uma grande volta, pq eu não sou nada assim, hein?
kiss

Curiosa disse...

Errata:
"conheço" :)

Alexandra disse...

Ele,

Ahhh, pois é! (Eu descobri a pólvora! Eu descobri a pólvora!)

Curiosa,

Por vezes passamos por momentos menos bons... a verdade é que rir (ou disparatar) é mesmo o melhor remédio! Ainda vou para conselheira sentimental ou coisa do género...

Beijos

Maria Strüder disse...

Irmãos queridos... também tenho um muito "amoroso"

Ana Moreira disse...

Um post verdadeiramente bom... ri-me bastante. As vezes acontecem coisas que nãop conseguimos explicar... ou melhor... explicar os homens...
Vai passsando pelas converdas de wc ok?
beijinhos

Alexandra disse...

Maria,

O meu é tão amoroso, mas tão amoroso, que às vezes só me apetece largar-lhe em cima um piano do sétimo andar.

Ana,

Obrigada! Eu qualquer dia descubro. Juro! Depois escrevo um livro e torno-me mais rica que a J.K. Rowling!

Está descansada, que passo! ;-)

Maria Ostra disse...

:D
Fabuloso!

Ana Moreira disse...

Oi Alexandra... Se calhar ja me ouviste nas manhas da Comercial... antes do Pedro Ribeiro mas actualmente estou na Cidade Fm das 10 Às 13h. Será que é mais aí??
Beijinhos

Anónimo disse...

Eu sou o mantorras do benfica neste momento vejo tv e brinco com o pequeno ricardo aos legos.Li que o pedro ribeiro tambem anda por aqui daí a minha paRTICIPAÇÃO AQUI.gOSTO QUE A MULHERES SEJAM BADALHOCAS MAS SO DEVAGARINHO

Alexandra disse...

Ahahahahaha!

Ó anónimo, não percebi nada! Mas valeu!

Espero então que não apanhes nenhuma badalhoca à bruta...

Roque PB Barros disse...

Alexandra, seu blog é muito divertido, gostei especialmente desta história, meus parabéns; aproveito para perguntar: você conhece meu Brasil?