sábado, março 17, 2007

Stalker: Pré-episódio - Versão cola


Na altura, no ano de 2005 para ser mais precisa, costumava frequentar as Festas do Hip Hop, que se realizavam no Convento todas as últimas sextas-feiras do mês. Essas festas eram, para mim, especialíssimas, uma vez que eram espaços onde podia realmente dançar à vontade, sem os olhares curiosos e censuradores dos demais noctívagos. Ia com o grupinho da dança e fazíamos noites memoráveis.

Mês de Fevereiro ou Março. Estava alegre e distraidamente a comentar com a Filipa que nessa noite iria à Festa do Hip Hop, quando o tipo da informática irrompe pela sala a dentro dizendo que adoraria ir a uma festa dessas e que (sorte a minha!) ainda não tinha combinado nada para essa noite.

Esbocei meio sorriso amarelo para a minha colega (Ora, não querem ver que me vão estragar a noite? O raio da festa só se realiza de mês a mês e ainda vou ter que aturar um tipo do escritório!).

Com a inocência de uma criança de quatro anos, fitei o abusador e respondi “Pois, ainda tenho de combinar melhor as coisas, ainda não está nada certo...”. Felizmente, o mito do Pinóquio nunca demonstrou a sua raça e o meu nariz ostentava as habituais proporções, possibilitando-me perpetrar a grandessíssima patranha. Quando o moço saiu, risadas da minha colega. “Já não vais poder dançar à vontade!”.

O que é certo, é que a criatura ligou-me várias vezes nessa noite. Pior! Enviou-me toques! Qual é o adulto que, no seu profundo juízo e anseio conquistador, envia toques? Volta e meia, o aparelho desatava aos saltos, senão mesmo aos gritos (eu juraria) e eu já com vontade de o doar ao primeiro mono que me aparecesse pela frente. Respirei fundo, já com as narinas a bufar, lá atendi e expliquei que a saída era “just girls” e que, se ele não se importasse, ficaria para a próxima.

Julgam que o demovi? “Ah, e tal, eu levo os meus amigos, apresentas as tuas amigas e vamos todos!” Resposta da Alexandra, “Mas as minhas amigas são muito mais velhas, de trintas para cima e não vão achar piada nenhuma a uma mudança de planos por desígnio unilateral… Mas as minhas amigas vão ficar aborrecidas comigo porque há tempos que andamos para conseguir sair todas juntas… Mas… Mas…”.

Não o demovi. Primeiro disse-me que ia lá ter com os amigos. Depois, ligou-me com um choradinho. Afinal os amigos não quiseram ir, mas como ele tinha muita vontade de conhecer, resolveu ir sozinho. “Agora estou sozinho e vocês bem que deviam vir ter comigo.”, ai e tal, “assim não me vou divertir”… bla, bla, bla! A minha vontade digladiava-se, mas lá acedi. Ou isso ou na segunda-feira encontrava o computador minado e os documentos importantes misteriosamente apagados... Com sorte, ainda o dito explodia e já me via perdida no arquivo, entre milhares de processos, em busca do Santo Graal…

Resultado: O betinho peçonhento andou a noite toda colado a nós e parecia que nunca tinha visto nada na vida. VERGONHA! As minhas amigas quase que me fuzilaram, estrangularam e apedrejaram em praça pública. Ninguém se divertiu, a não ser a amiba. Ninguém, especialmente eu, dançou à vontade.

E no final da noite, a criancice ainda teve a lata de me puxar pelo braço e segredar “É melhor não comentares nada lá no escritório de que eu saí contigo! Ainda começam todos com comentários e eu gosto de ser muito profissional! Sou empregado lá e não me parece ético sair com as advogadas!” Ora, querem lá ver?!

Tive que me agarrar a mim própria. A ignóbil alforreca arriscou-se a sair de lá sem dentes.

6 comentários:

Jorge disse...

Notas:

- Ele nunca tencionou levar amigos
- É de mau tom dar o número de telemóvel a rapazes de informática
- Fizeste um gajo feliz

Alexandra disse...

- Isso sei eu. Com ou sem amigos, não o queria lá!
- Não dei. O tipo na informática tem acesso a todos os contactos.
- Ainda não sabes da missa a metade... Isto foi o pré-episódio. Até tem 1 certa piada pela seca que apanhei, mas deixa vir o resto...

P.S.- Só "posto" na 2ª, visto que amanhã vou para a corridinha.

Jorge disse...

Que inveja!

Hugo M. disse...

Conta lá o resto da história!

Mónica disse...

Eu lembro-me bem desse episódio!

A mim, apeteceu-me logo bater ao enjoado! Era parvo e estragou-nos a noite!

Fiquei tão furiosa a pensar que festa daquelas só para o mês seguinte... Tadinha, mas tu sofreste bem mais... ;-)

Alexandra disse...

Se sofri...

Mas só o levei a sério quando começaram as esperas à porta do ginásio e as perseguições. Que burra!!!