quinta-feira, junho 02, 2016

MORTE À CALÇADA PORTUGUESA


Hoje, quando ia a sair para levar a Cacau à rua, vinha a filha de uns vizinhos a chegar, com o bébé nos braços, que tropeçou na malfadada calçada.

Para não magoar o bébé, caiu bastante mal, torceu o pé e caiu de costas. Começou a chorar de dores e entregou-me logo o miúdo, que também chorava, para os braços. Felizmente, para ele, foi apenas um susto e sossegou logo nos meus braços. Já ela, ficou com um entorse valente no pé e sabe-se lá mais o quê nas costas.

Posto isto, quando é que arrancam de vez esta porcaria?

Isto não é uma calçada, não é um pavimento. É um instrumento de tortura.

Estou saturada de assistir a 38495894584968 quedas, lesões e ferimentos. Estou saturada de ver esta porcaria a dar cabo da vida das pessoas e acabar de vez com a qualidade de vida aos idosos porque, nessa idade, uma perna, braço, cabeça ou bacia partida significa o fim de muita coisa.

Estou saturada de ver as pessoas a fazerem equilibrismo para se manterem em pé. De ver a acessibilidade negada a quem anda de cadeiras de rodas ou tem dificuldades de locomoção.

Eu própria tenho uma cicatriz de seis centímetros no joelho esquerdo, que não me deixa esquecer uma queda, cujo resultado foram uma série de pontos internos e externos e várias semanas sem poder andar. E sim, estava de sapatos rasos.

Quando é que percebem que a questão não é a manutenção? É uma pedra escorregadia, onde o passar dos anos só o piora. São cubos pequenos mas que, por mais alinhados estejam, vão dar sempre azo a muitos acidentes.

Quando é que passamos de vez para o século XXI? Também já tivemos o tempo da terra batida e o que mais. Quando é que olham para outras cidades e países e percebem que o objectivo de um pavimento é facilitar a locomoção? Madrid aqui tão perto tem um pavimento excelente e em lado algum impossibilita uma cadeira de rodas de circular.

Sim, também gostaria de andar de saltos sem arriscar ficar com os pés, joelhos e o que mais feridos, torcidos ou partidos, cada vez que saio à rua. Ora que grande treta! Isso acontece até de ténis.

Se é bonita? É! Mas arranquem-na de vez e coloquem-na num museu para admirar. Coloquem a legenda "Era sobre este instrumento de tortura que os portugueses tentavam deslocar-se e, como consequência, muitos sofreram na pele e nos ossos a sua beleza. Arranquem-na! Pobres brasileiros que herdaram esta porcaria, ainda mais perigosa num clima húmido
.
Arranquem-na! Arranquem-na de vez e passemos ao século XXI. Coloquem-na num museu.

Arranquem-na do país inteiro. Para que não tenhamos de assistir ou protagonizar mais episódios como o de hoje.

Arranquem esta porcaria de vez e terminem com o suplício que é caminhar sobre ela!

1 comentário:

Luna disse...

Esta é uma discussão que já tive sei lá quantas vezes, inclusive com o meu consorte, que achava muito linda. Isto até há 3 semanas a minha sogra ter caído, partido um pé em dois sítios e ter tido que ser operada, pq escorregou/tropeçou na puta da calçada.