quarta-feira, abril 06, 2011

Passados 17 anos



Hoje, descobri que o Kurt Cobain morreu no mesmo dia e mês em que comemoro o meu aniversário.

Hoje, como quem diz, provavelmente, descobri no próprio dia em que morreu mas, de alguma forma e por mistérios (aguçados) do universo, nunca retive essa informação.

Também nunca percebi a celeuma.

Aquela cena toda negro- ai, ai, ai que estou tão triste e quero morrer-viioooooola-meee-oláá, oláá, oláá, que baixariaa- depressiva era mais do que notória. O tipo choramingava sobre a guitarra.

No entanto, ninguém foi capaz de lhe estender a mão, um lenço, um vale para a clínica de desintoxicação. O que fosse.

Pronto, a Love estendia-lhe a mão mas entregava-lhe coisas más, brancas do demo, rolos do belzebu, cogumelos dos estrunfes. O resultado era desastroso. O moço choramingava ainda mais (Oiçam as músicas, as letras, está tudo lá.).

Estava à vista do porco preto barranquenho mais míope do Baixo Alentejo.

Mas não, o mundo chocado, surpreso porque o rapaz suicidou-se.

Caríssimos, os vossos actos têm consequências.

As omissões também.

Todavia, antes que comecem a atear a fogueira, devo recordar que, nessa altura, a menina aqui era uma simples jovem teenager.

Uma adolescente.

Sem borbulhas mas com pontos negros gigantes e atolados de sebo, que geravam um holofote no nariz e lhe davam verdadeiras dores de cabeça. Fora as muitas, demasiadas inseguranças.

Com as vergonhas e o fugir ao mundo tão típico da idade, porém, já com manias de super-mulher.

Ainda assim, não curtia o Kurt.

Gostava de músicas chorosas mas até aquilo era demasiado para mim.

O expoente máximo de choramingas que tive era ir patinar, vezes sem conta, para o super, percorrer as rampas, saltar e descer as escadas em grande velocidade, ao som da Damn I Wish I Was Your Lover da Sophie B. Hawkins. Depois tinha os Green Day, os Offspring, ACDC, Pearl Jam e a cena toda do Hip Hop a juntar à festa.

De qualquer forma, esqueçam essa ideia.

Encontrava-me bem longe, noutro continente, e, sejamos práticos, existem muitos milhares de pessoas, para além de mim, que nasceram no dia 5 de Abril.

Qualquer uma delas, que não eu, poderá não ter conseguido segurar-se e soltado um inocente:

"Caramba, pá! Estás sempre a chorar. Não se aguenta. Deixa-me comemorar o meu aniversário em paz e vai dar cabo dessa cabeça janada!"

Isso ou, à frente dele, ter cantado e dançado o "Cover Girl" dos New Kids on the Block.

Não fui eu, a sério.

Banda sonora:






14 comentários:

Wendy disse...

Agreed!
Nem a imagem dele, nem as músicas nem o estilo de vida me fascinaram. E até este ano não fazia ideia da data do suicídio dele.

Jedi Master Atomic disse...

Não Kurtias mesmo o gajo :P

A disse...

vocês não percebem nada de nada! "she has a moist vagina" é, por exemplo, um hino à alegria.

mas, parecida com a tua situação, mas bem pior, é que no ano em que morreu o kurt cobain, 19940, nasceu o justin bieber... vai à merda 1994!

Jedi Master Atomic disse...

O Cobain morre em 19940??? Sério A? Já é bom saber que o nosso planeta vai durar até 19940. Deste-me uma óptima noticia. Ou será ótima?

Alexandra disse...

Se for ótima, é uma óptima noticia pois significa que estarei com uma caipirinha na mão.

Alexandra disse...

O Kurt Cobain está para os adolescentes como a Floribella está para as crianças.

A disse...

ultrapassado?

Pulha Garcia disse...

Eu curtia o Kurt e ainda hoje acho que tinha um enorme talento (o mesmo não se pode dizer de 99% dos supostos músicos de hoje, e muito menos da Floribela ...). Sucede que era agarrado. Apenas isso. Com o fim mais provável dentro do género. Não vejo motivos para não gostar de uma pessoa só pela forma como acabou.

Movimento Moda disse...

Bom, como acontece com todos os mitos, muito se diz sobre a morte do senhor: que foi assassinado, que houve uma conspiração entre a mulher e a policia de L.A. etc etc.

Na verdade foi uma morte que marcou a história da música porque aconteceu precisamente no pico da carreira dos Nirvana.

Alguma coisa boa daqui saiu. Dave Grohl é um músico extraordinário, emergiu das cinzas dos Nirvana.

Alexandra disse...

A,

Nem isso.
Perdeste o chapéu.

Pulha,

Não gostava não pela forma como acabou mas pela música que não me dizia nada. Demasiado depressiva. Aliás, todo o grunge foi algo que nunca me aliciou assim em grande. Estavam lá os Pearl Jam, ainda assim, escolhia as músicas a dedo (as quais adoro).

Não lhe tiro o talento e muito menos o mérito mas suicidar-se no meu dia de aniversário é um pouco demais, não?

A disse...

foi uma fã maluca que me roubou. foi a fazer fouettés, enquanto fugia... pergunto-me sobre quem terá sido.

Alexandra disse...

Para tudo!

Ahahaha!

Foste à wikipédia para achar um passo de ballet, certo?

Fugir a fazer fouettés não é nada fácil, até porque, supostamente, não se deve "viajar" enquanto os realiza. Isto é, é suposto não sair do sítio... Bolas, foste logo escolher o passo errado!

A disse...

não fui nada, eu sei bués de ballet.
e também não me enganei, os fouettés fazia nas esquinas, para mudar de direcção, enquanto corria fazia grand jetés.

Susana disse...

O meu melhor amigo também nasceu nesse fatídico dia. Coitado, acho que ele não tem noção, devo avisa-lo de tal facto? Quer dizer, não quero traumatiza-lo. Hum...