terça-feira, março 01, 2011

O blogue do lado em ponto rebuçado II

O Piston em poucas palavras:

Haverá muito a dizer deste jovem que de toiro com ceroulas passou a porco de rolha.

Stalker
Stalker
Stalker

O que é certo é que, após todos estes anos de várias peripécias, continuo na dúvida se o que quer é ver-me degolada e estendida num beco escuro ou no altar. Provavelmente, a combinação de ambas.

O que daria em algo como isto:


De qualquer forma, o moço esmera-se.

Primeiro, foi a ronda do motard, à noite. Pensei em assalto pelas tríades japonesas. (Vi num filme.)

No dia seguinte, encontro um bilhete sinistro, com o Ronald Mcdonald impresso, na janela do sítio onde trabalhava. Pensei em bruxaria. (Nunca acendi tanta vela na minha vida, como naquela semana. Os clientes acharam romântico.)

Depois, no mesmo local, um pacote de gomas em forma de tubarões (Os advogados, pois.). Pensei em envenenamento. (Não obstante, antes de verificar a sua origem e se a embalagem fora violada, arrisquei. Cá estou. O açúcar sempre foi meu amigo. Ignorem o rabo.)

Certo dia de Inverno, bateram à porta aos murros. Com força e ares de quem não espera não ser atendido. Pensei em bandidagem. Vagabundos. Ladrões. O Cobrador do Fraque ou o técnico para cortar a electricidade. Depois, vi que era ele, de calças molhadas até aos joelhos e ar desvairado. (Temam aqueles olhos quando esbugalhados.) Pensei em esfaqueamento. (Entregou-me uma garrafa cheia de água do mar e alguma areia, para matar saudades do cheiro do mar. Era de Carcavelos, não provei. Mas o aroma a algas deu à minha pele um aspecto viçoso.)

Os sustos foram sucessivos. Pensei em defesa e medidas extremas. (Amiguei-me dos drogados lá da zona, para o desencorajar. Perdi toda a clientela e fechei.)

Ainda assim, não encarem os factos de ânimo leve. "Ai que fofo que é, levou-te açúcar, ignora lá a catana que tem sob o casaco." O moço é mórbido. Tem um post preparado para a eventualidade da sua morte, isto é, agendado para ser publicado caso na data não altere o agendamento.

O que se salva... Bem...

O que se salva, Pis, é que encontrei a lápide!



Adenda: Esta história apenas existe dada à patologia do moço. Ou seja, cuidados redobráveis às advogadas. O uso de fato na sua presença é considerado perigoso.

7 comentários:

Zaahirah disse...

Oh, que fofa, tens um pequeno grupo de fãs! Se soubesse tinha-te levado uma prendinha qualquer quando fui lá à tua loja, só para ter direito a ser apelidada de "stalker". xD

(se bem que um cartaz a dizer "Go Alexandra" na plateia de um dos teus espectáculos também tinha a sua graça)

A disse...

e depois eu é que sou esquisito. não que o piston seja esquisito, nada disso, é normal, cenas normais de um gajo nor... por favor não me mates!

Piston disse...

Se isto não é amor...

Foi aqui ocultado que me apresentaste parte da família porque, lá bem no fundo, sabes que isto vai dar casório.

Alexandra disse...

Zaahirah,

Um pequeno não! Esta rubrica ascenderá a algumas centenas de posts.

A,

Ahahaha!

Piston,

Toda a gente sabe que falar em casório é mais tenebroso do que me apontar uma arma.

Queres que divulgue o comentário do meu pai?

Piston disse...

Podes divulgar tudo. Entre nós e toda a blogosfera não há segredos.

Jedi Master Atomic disse...

"Pai, este é o Piston."
"Eeerr....porque é que ele tem nome de peça de automóvel?"
"É a minha sina pai. A minha vida é um conjunto de peças, ainda só não encontrei um bom lubrificante."

Piston disse...

Poético e com lógica, contudo, não foi o que aconteceu.