sexta-feira, agosto 28, 2009

Elo mais fraco


Escrever num blogue pode ser uma arma poderosa.

Sobretudo, contra aqueles que nos conhecem e o seguem, lêm-no de uma ponta à outra, a fim de dissecar todo o nosso coeficiente emocional, mas que são incapazes de dizer "Olá, como estás? Sim, procuro saber de ti."

Por muito que nos custe essa exposição e entrega unilateral, podemos sempre manipular todo o resultado que chega ao receptor.

Podemos gritar ao mundo "Eu estou fantástica!" e levar o outro a entender que estamos nem aí para o drama que nos criou, ou que temos uma vida espevitada ou ainda, pura e simplesmente, ganhámos o prémio na rifa do Santo António.

Inversamente, podemos chorar as mágoas da novela das oito, como se nos importasse tanto, tanto, como a àgua que necessitamos, tudo e mais qualquer coisa, a sua ausência, as palavras que nos feriram, a crise que nos empobrece.

Desta forma, manipulamos o resultado e, por consequência, a percepção do lado de lá. Sem que se apercebam. Tão calculistas que somos.

Não se deixem ludibriar.

Trata-se de uma guerra desigual.

Qualquer que seja (estes ou qualquer outro) o ardil utilizado, conscientemente, sim, conscientemente, saímos sempre a perder.

Sabemos que essa pessoa está lá, fazemos chegar o resultado que entendemos. E depois?

Depois? Depois, nunca ouvimos um "Olá, como vais? Olá, estou aqui."

Não largamos a unilateralidade.

Eu acabei de ter essa sensação.*

*Maldito sitemeter.

34 comentários:

Alexandra disse...

Depois podemos ainda contestar: "Não, este post não é sobre ti mas se te serviu a carapuça..."

Kel disse...

Serviu-me!

Olá, como estás?

Beijinhos amiga. Amanhã jantar supimpa!!!

Kel

grassa disse...

Não tenho esses problemas.

O meu blog reflecte-me.
Se 'tou pissed off, o meu blog 'tá pissed off.

De outra forma, está no seu estado natural.

Jedi Master Atomic disse...

O blog é a mascara perfeita. Podemos ser o que quisermos, mas invariavelmente, a verdadeira personalidade salta à vista.

André disse...

um problema de criar uma personagem alternativa é que se corre o risco de esta se tornar mais popular que nós... não é A, seu merdas!

A disse...

fo**-te, pá!

grassa disse...

É como o Alexandra.
Já ninguém o trata por Carlos.

Jedi Master Atomic disse...

LOOOL

A disse...

os homens adormecem com a alexandra e acordam com o carlos.

isso não se faz alexandra!!

Alexandra disse...

Kel,

Ainda bem!

Combinadíssimo. Levo limas e açúcar amarelo.

Grassa,

O meu também. Tem dias. Na verdade, não. De todo.

Jedi,

Salta sempre.

A/André (não era Afonso?),

Dr. Jekyll, Mr. Hyde?

Alexandra disse...

Tesouros,

Às escuras. É o truque.

Zaahirah disse...

É uma arma poderosa, sim senhora! E tanto pode servir para fazer declarações a quem gostamos, como para magoar também...

É... isto dos blogs tem mto que se lhe diga!

**

Raquel Granja disse...

Conseguimos manipular! Conseguimo-nos exprimir melhor (acho eu)! Mas é como tu dizes no final, nao recebemos respostas :x

MADRUGADA... disse...

esse post é para mim? :)))

abigale disse...

como eu compreendo e concordo com o que escreveste. como o deixar um comentario num blog pode muitas vezes servir para acabar uma relação simplesmente poque alguém que não era suposto lê.
Mas também é nestes momentos e nas pequenas coisas que vais vendo as pessoas...

nando disse...

Mas ter um blog não é só escrever?... Ainda se tem de andar a pensar sobre quem é que vai ler!?... Weird...............

JS disse...

Devia ter pensado nisso há mais tempo...

nuno disse...

por isso eu nunca pus o sitemeter no meu ! prefiro não saber ou cair na tentação de saber quem vai ao meu! já me criou dissabores e incertezas é claro , mas prefiro assim!
e não te esqueças que por vezes deixamos escapar mais informação nas entrelinhas do que no que realmente escrevemos!

Teresa Queiroz disse...

eu não me preocupo nada com isso ...nem penso muito

Pinkk Candy disse...

hello!

vim cá parar através de ouro cantinho que fazia referência a este post!

e realmente está muito bom! nos blogues há de tudo, cada um pode ser aquilo que é e aquilo que não é e ainda aquilo que desejaria ser...

mas os blogues não são supostamente anónimos, quero eu dizer, só não são se contares aos teus amigos e conhecido que tens este blogue, não é?!

gostei :-)

xoxo

Pinkk Candy disse...

* de outro

Alexandra disse...

Zaahirah,

Verdade mas em última análise não sabe bem.

Raquel Granja,

Precisamente.

Madrugada,

É?

Abigale,

Ora aí está. Contudo, não é um processo de "conhecimento" simpático.

Nando,

Inevitável. Aliás, ponho as mãos no fogo em como é algo que muitos bloggers sofrem na pele.

JS,

Pensei sim. Mas será sempre recorrente, sobretudo quando o blogue vai ganhando alguns anos de idade e dos leitores passam também a fazer parte pessoas que nos conhecem (Por vezes, nem depende de nós.). Obviamente que todos nós convivemos com isso. (Não é nada de novo). Mas há sempre uma ou outra situação em particular que se manifesta de forma mais crua (e dolorosa). Neste caso, senti mais na pele.

Nuno,

O sitemeter já me salvou de alguns dissabores.

Deixamos, é verdade. Também, se não o fizermos, isto não serve de nada pois não? ;-)

Alexandra disse...

Teresa Queiroz,

Até ao dia... :-)

Pinkk Candy,

Podes ser o que quiseres. Ainda assim, a tua personalidade acaba por sobressair.

Verdade. Serão anónimos se não contares a ninguém. Mas não só. Basta um ou outro amigo descobrir (Como já me aconteceu tanto e descobrem pela partilha de informação que é feita no blogue. Já me perguntaram até no ginásio se este não era o meu blogue porque me chamo Alexandra, sou advogada e por aí adiante.), depois contarem aos amigos ou até mesmo basta conheceres leitores ou bloggers. Ao fim de algum tempo são poucos os bloggers que asseguram um anonimato a 100%. E no início, as pessoas relaxam mais com os blogs e partilham mais. A preocupação com o anonimato só surge quando este ou a sua privacidade são ameaçados.

O foco aqui é que por mais que uses a vantagem de poder manipular a informação que fazes chegar, estarás sempre em devantagem.

Podes indicar-me que blogue referenciou este texto?

Beijinhos e obrigada!

Pinkk Candy disse...

Olá Alexandra!

Infelizmente não te posso ajudar, já tentei encontrar o blogue e nada. Esse blogue tinha dois links no post direccionados para aqui, e acho que nem comentei nesse blogue, encontrei-o por acaso, enquanto andava de blogue em blogue, e até pensei que essa pessoa, acho que era um blogue feminino, te conhecesse ou costumasse comentar aqui no teu cantinho. Mas é alguém que te lê com certeza, claro, e porventura já terá comentado aqui ou não, quem sabe.
Se porventura, “tropeçar” nesse blogue de novo, não me esqueço de te dizer!

Bjs*

nando disse...

Reflectimos a nossa personalidade em cada passo que damos. Diz-me o que veste, dir-te-ei quem és; diz-me como blogas dir-te-ei como vives; diz-me para quem escreves e dir-te-ei para quem te vestes... and so on, and so on...
É assim.
E o que se faz com isso?...
;-)

Alexandra disse...

Pinkk Candy,

Ok, obrigada. :-)

Nando,

Naturalmente, prefiro não ter que reflectir o que escrevo e muito menos fazê-lo tendo em conta quem me lê. Fico sem liberdade.

Com coisas calculadas faz-se nada.

Foi isso que quis dizer com este post. E por isso também tenho a etiqueta " Não podes mudar a percepção que os outros têm de ti apenas a forma como te apresentas". Basicamente, serve precisamente para ironizar essas situações.

A disse...

afonso? isso era pior que o Deus me livre!

Alexandra disse...

Bem...

Inês e Mafalda disse...

http://dias-assim.blogspot.com/2009/08/blog-post_28.html

é este o blog, ou pelo menos um dos que faz referencia a este post.

Post que está fantastico e muito acertado.

beijinhos

nando disse...

Fiquei baralhado... Afinal sofres na pele ou não perdes a liberdade?
:-?

Alexandra disse...

Uma exclui a outra?

Alexandra disse...

Inês e Mafalda,

Obrigada!

nando disse...

Talvez não... hmmmmm....
Mas sabes, o teu texto faz supor que te preocupam muito as consequências dos teus textos. Que de algum modo isso condiciona de alguma fora o que escreves.
Por outro lado, se preferes não reflectir o que escreves tendo em conta quem te lê... como te poderá condicionar?...
;-)

Alexandra disse...

Nando,

Este post foi sobre uma situação concreta e o quanto realmente nós podemos influenciar algo ao escrever no blogue, mas que, façamos o que fizermos, não largamos a unilateralidade. Penso que se o releres perceberás melhor.

Não foi propriamente preocupar-me com o que escrevo em geral e as consequências dos posts. Já lá vão três anos de hábito e para que o blogue perdure não posso propriamente pensar nisso (Com as devidas ressalvas de não expor a vida dos próximos, naturalmente, até por questões de princípio e respeito.).