sexta-feira, janeiro 30, 2009

Pensamentos e dúvidas que me perseguem - Trauma II


Foda-se!

Será que o rato era o João Ratão?

E foi justamente cair no meu caldeirão?

(Pensamento mais medroso: ...Será a Carochinha violenta?)

19 comentários:

Jedi Master Atomic disse...

Andamos a descer de nível no palavreado...ai o cuarago :P

Hélder disse...

Deixa lá... muito provavelmente, não era! ;)

Textículos disse...

Que é que ele fazia tão pertinho da panela!?

Gi disse...

E os outros já vieram ao funeral?

Alexandra disse...

Jedi,

Agora é fino. Não sabia? O que uma mulher tem que fazer para eestar na moda...

Hélder,

Então seria quem? O danger mouse?

Textículos,

Cheirou-lhe a flores. O mulherengo pensou que seria alguma ratita.

Alexandra disse...

Gi,

Contratei o tipo da flauta para os pôr a milhas.

A minha vida dava uma Disney história.

Hélder disse...

Era obviamente o Ratatoille!

Anónimo disse...

Os homens são todos iguais

Querem as mulheres boas em vez de boas mulheres e depois lixam-se

Alexandra disse...

Helder,

Acabou-se o génio da cozinha, então.

Anónimo,

Estranho o seu comentário.

Tanto eu como a carochinha somos boas mulheres e mulheres boas.

Somos prendadas, inteligentes, dedicadas, temos humor e somos carradas de giras. Melhor seria impossível. O desfecho é culpa do destino. Qualquer coisa que ele não resolveu na vida anterior e teve que enfrentar nesta.

Artur disse...

Porque é que não arranjas um gatinho aí para o armazém? Os gatos são deveras independentes, extremamente limpos, não teria qualquer problema de ficar aí no fim de semana. E tu vivias descansada.
Eu tenho fobia a pássaros, e resolvi o problema com os gatos: nem se aproximam.

Alexandra disse...

Artur,

Seria incapaz de pôr ali um animal fechado. É um espaço pequeno e parece-me importante que vejam a luz do dia.

Depois, as unhacas dos gatinhos sair-me-iam caras.

Para além disso, e o mais importante, eu adoro pássaros. Tenho um piriquito amoroso e seria impensável levar um gato para casa!

Artur disse...

Se o espaço é pequeno tambem nao pensava nisso. Mas nunca pensei em "fechá-lo" lá: pensei em "viver lá". Os gatos entram e saem, são muito independentes.
Será que existe um daqueles ultra sons anti-ratos?
Espero que não tenhas é de casar com ele. :-)

Jedi Master Atomic disse...

Alexandra,

Deves ter reparado pelas minhas fotos que eu sou bastante fino....lol

o comentário do anónimo não é assim tão estranho. Está somente a dizer que as mulheres boas nos levam a cair na panela, mais cedo ou mais tarde. Por isso é que eu não namoro mulheres boas....tenho medo de me queimar. :P

Mr X disse...

Isto faz-me lembrar uma história engraçada e um título "obras empíricas, o papagaio que virou doce".
Também havia uma panela...

Alexandra disse...

Artur,

:-) Ultra sons anti-ratos? Mais facilmente instalo uma máquina de fazer gelados.

Jedi,

Isso é conversa da treta. Estereotipada. Suplante o seu medo.

Além disso, quanta mulher não é ambas.

Mr X,

Ai... Essa história também não me agrada nada!

pensadora disse...

A carochinha pode ter o seu lado de anjo e de demónio como tantas mulheres deste planeta ...

Mas... quem sabe se o caldeirão não foi apenas um esquema que ela arquitectou para se livrar de um rato que a tinha desiludido?

Lá por ser carochinha não quer dizer que não faça esquemas!

Alexandra disse...

Pensadora,

Bem visto!

Realmente, a mulher devia andar munida de caldeirão.

Eu fico-me pelo meu balde das limpezas perfumado.

Xá é Mr. X disse...

Foi o meu primeiro livro...
:)
tinha uns 13 anos.

Alexandra disse...

Xiiii... Aos treze ja tinha devorado as colecções de Uma Aventura e dos Cinco.