quinta-feira, abril 17, 2008

As bifas


Desde Fevereiro que a aula de Jazz de segunda-feira conta com a presença de duas inglesas.

Uma magrinha de nariz empinado, com a pele a tresandar a solário, e outra muito pálida, tipo lula da Nazaré, insonsa, inexpressiva.

A desenvoltura das moças chamou logo à atenção e eu tentei conter a pontinha de ciúme pelo facto dos olhos do professor brilharem mais com o desempenho delas do que com o meu, nas diagonais.

Se a minha primeira descrição das moças parece menos simpática, garanto que foi a primeira impressão.

A seguinte foi bem pior.

Pois que, desde a primeira aparição da aula, as moças não têm feito mais nada senão gozar com os restantes colegas. Com o nosso desempenho, os nossos desequilíbrios, a teima na falta de flexibilidade de alguns. Cochicham, passam o tempo com risinhos irritantes e trocistas. São más colegas, atropelam os outros e, se vêm alguém que lhes faça frente nos movimentos, não hesitam em empurrar a pessoa nas diagonais e na coreografia.

Verdadeiras bullys da dança, é o que vos digo.

Ora, descobrimos que estas meninas são bailarinas de profissão. Tcharannnnn… Bailarinas do Casino de Lisboa. Isto é, ditas profissionais a gozarem com pessoas que não o são. Que estão ali em part (muito part)-time, mas com um amor à dança inabalável.

Concedo que não somos nenhuns Barishnikovs nem Zakharovas. Mas elas também muito longe disso. Na verdade, é que se as pernas batem na cabeça nos grands battemends, na coreografia não podiam ser mais quadradas.


Ontem a Ellen fartou-se de me pisar na coreo.

Ia contra mim, ocupava o meu espaço, colocava-se deliberadamente à minha frente, ocultando o meu campo de visão no espelho.

A minha paciência a esfumar-se.

Ela, de nariz empinado, continua a provocar-me.

Até que não aguentei.

Saí sorrateiramente do meio do estúdio. Fui até ao canto, com o pretexto de beber água.

Todos distraídos com as indicações do professor.

Retirei da mala um lenço de papel e assoei-me.

Assoei a alma, as entranhas e todo o muco amarelo-esverdeado e pegajoso que podia existir dentro de mim.

Depois, certificando-me que ninguém assistia, angelicamente coloquei o lenço bem aberto, com a parte suja para cima, dentro da mala da bifa.

Em pézinhos de lã, voltei ao meu lugar e dancei. Sorridente. Coordenada. Uma pluma airosa e inocente.

Relembro os colégios, as boas notas, os anos de faculdade culminados numa benção das fitas esplendorosa. A aprovação com distinção no exame da Ordem.

Agradecida pelo grande cerebrozinho que os meus pais dedicaram mundos e fundos a criar.

11 comentários:

Gi disse...

És uma ranhosa! :)
Sou a primeira? O Jedi ainda não passou por aqui?

Jedi Master Atomic disse...

gi,

às 7 da matina de certeza que me vences em comentarios :P

Só a partir das 10h é que ligo o sistema, mas ainda bem que te lembraste de mim...é bom ser lembrado :P

Xana,

LOLOLOL !! You rock !!!

Alexandra disse...

Gi,

Estou tão surpresa quanto tu!

Jedi Master,

Não pode ser, assim perdes qualidades!

Jedi Master Atomic disse...

É assim....a idade não perdoa. Mas é verdade que o "Condensated milk à lá colherades" é um local de culto :P

Red Woman disse...

Eu ia fazer um comentário mas desatei a rir com o comentário da Gi.

Ahahhahahahh!

Obrigada pela dica dos bolos e em relação a essa, da próxima põe uns macaquinhos á mistura, secos e presos às bordas do lenço. (I know it's sounds disguting)

Beijos

Alexandra disse...

Jedi,

Local de culto? Não quero ninguém a vir deixar aqui flores e fotos, pf!

Red Estrella,

:-) Calculei que sim!

O bolo de lá é excelente!

Alexandra disse...

Jedi,

Local de culto? Não quero ninguém a vir deixar aqui flores e fotos, pf!

Red Estrella,

:-) Calculei que sim!

O bolo de lá é excelente!

Fuzhong! disse...

Ah ah! LINDO!!

Mimo Azul disse...

heeheeh bela ideia!!!
;) castigo merecido!

bjca xL

Restelo disse...

E que tal mostrares-lhe 2 dedinhos (não sei se sabes mas para os bifes levantar o dedo do meio não significa nada; tens de levantar o indicador também, mas não é completamente direito como se estivesses a fazer um V, é assim em forma de gancho). A razão pela qual eles faziam isto é que houve uma altura em que, numa das várias guerras com os franceses, estes cortavam os dedos aos arqueiros, esta era a forma de mostrar que ainda os tinham...
Boa sorte e enfrenta-as. Empurra-as, sê frontal e não te escondas!

Zaahirah disse...

LOOOOOL!!!! Eu não costumo comentar, mas desta vez não resisti!! Ideia genial!! Também tenho desse género de gente nas minhas aulas de dança, mas nunca me lembrei de me vingar dessa forma!! Grandes 'Bitches' essas, hã?? E pôr um fiozinho no corredor para as fazer partir as perninhas quando fossem a passar, não?? =P