domingo, outubro 28, 2007

Palavra de Alexandra!

Este Sábado, apanhei a pior espécie de vendedores na rua.

Andavam por todo o lado, qual praga de formigas encarnadas (Sem qualquer analogia, ok?) em solo africano.

Do Estádio da Luz ao Colombo, da Baixa ao Saldanha, não havia rua Lisboeta livre da infestação dos impingidores, atentos e vorazes, sem permitir qualquer hipótese de escapatória aos transeuntes, presas indefesas e fáceis para as mandíbulas da venda.

Uma corja, é o que vos digo.

Implacáveis, conseguem vender qualquer trambolho sem uso a um Patinhas.
Picolinos aspirantes, certamente, no futuro, serão angariadores imobiliários da Era ou da Remax.

É um facto.
Não há quem escape aos (MEDO) escuteiros.

Como dizer “não” a um grupo de petizes na idade das brincadeiras, de faces rosadas e amorosamente trajados de igual? Como dizer não àqueles olhos amendoados, doces, brilhantes, com uma vida inteira de nós e acampamentos pela frente? Dizer não aos lenços aprumadamente colocados com a honra do fazer bem ao próximo?

Ainda por cima, são espertos, os mariolas.

Andam em grupos, certificando-se que trazem sempre consigo um mirim, um bambi de leite pela trela.

Ao mínimo torcer do nariz, o bambi de leite espeta o lábio para fora, tremelica o queixo e mareja os olhos de lágrimas.

Nem o Pantufa, o cão da minha vizinha, que facilmente me tomava os Magnuns brancos com olhos pedintes, conseguia tamanho saque.

Esqueçam as desculpas e planos de fuga. O “não tenho dinheiro comigo” ou o “já comprei”.
Por mais exímios que sejam em faltar com a moedinha ao arrumador ou ao invisual que insulta toda a gente, na linha azul, por não receber qualquer caridade.

Esqueçam o andar em pontas, qual Pantera Cor-de-rosa fugidia.

Não com as ruas minadas. Não com centenas de pequenas, felizes e benfeitoras criaturas, sedentas de euro para acampamentos na Borralheira de Orjais, à solta.

Venham antes as finanças, o cobrador do fraque, o meu primo Óscar-papa-tudo!

Resultado da pilhagem: 12 rifas para um televisor, com sorteio a realizar-se em data incerta e local incógnito, 6 calendários, 4 bandeirolas e uma catrefada de pins; adiamento da visita à Pablo Fuster para o próximo mês; pés muito, mas muito, deprimidos.

Bandidos!

8 comentários:

Jedi Master Atomic disse...

LOLOLOL

Estou a ver que és uma compradora facil. :P

Conheces aquela anedota do vendedor que bate a uma porta, a pessoa abre e ele diz:
- "Vendo palitos, suspensorios, presilhas, agrafos, tesouras...."

e a pessoa corta-o a meio dizendo:
- "Eu não preciso de nada, tenho tudo."

, ao que o vendedor responde sem demora:

- "Então e esta maravilhosa biblia para agradecer a Deus não lhe faltar nada?"

lol

tavguinu disse...

tinhas levado uma shot-gun e brincado ao atira escuteiro ao chão !

PS - fiz-te um post e dei-te razão !

Maga_Ostrológica disse...

humm..Devo ser uma péssima pessoa...Resisto a essas criaturas infernais, sem custo! E a todo e qualquer vendedor.
Como?
Epá, não tenho mesmo dinheiro, ora!
:D
E tenho muito mau feitio...

Nitinhaplatz disse...

qualquer dia ando com uma pressao dar... atiro a alguns vendedores e ja agora aproveito p acabar com as ratazanas do ar... ahahahah.... os pombos entenda-se

Cid disse...

Ahhahahah

fartei-me de rir.

acontece que estou do outro lado da barricada :P

confesso que conseguimos ser muito chatos... mas é por boas causas

PS: queres comprar um calendário ;)
PS2: gosto da forma como escreves

pinky disse...

uiiii vendedores de rua! uma canseira!
mas sabes que depois de ver um filme/documentário sobre a vida dos imigrantes em Portugal, comecei a vê-los de outra forma...chateia-nos pk são horas a fio que uma milhenta deles nos perseguem, mas saber as condições em que vivem e as coisa por que passam deixam-nos a vê-los de outra forma, e de facto é de apertar o coração de tão tristes que são as histórias.

Anónimo disse...

Eu consigo dizer-lhes um simples nao. Mas confesso que nao acho mta piada aos escuteiros. cho que se andassem so a pedir em vez de tentar vender coisas que nao servem para nada, tinha mais logica...

Mas é facil: qdo os apanhares lembras-te dos Gato Fedorento no sketch do Filme Indicano, e depois dizes apenas que nao, nao queres a canetinha bic ou o calendário....
Boa Sorte!

Alexandra disse...

Na verdade adoro os escuteiros.

Quando era miúda, pedia muito aos meus pais para me deixarem ir à Catequese por duas razões: os escuteiros e o facto de me terem dito que ofereciam livros na catequese. Crominha desde a infância...