segunda-feira, abril 30, 2007

Aeroportos, Porta-aviões e heliportos

Eu tenho um periquito sobrenatural, segundo muitos. “Tão giro! Como é que conseguiste?”

Para a maioria das pessoas, os periquitos e outras aves exóticas ou campestres são seres amorfos dotados apenas da capacidade de chilrear, comer e fazer muita sujidade. Ali, quietos, nervosos, trancados pelas grades das gaiolas.

O meu não. Assobia elogios, aprendeu o “Verão Azul”, qual piraña de bicicleta pela ribanceira abaixo, grita estoicamente “Benfiiiiica” e responde a qualquer chamamento. “Raggae, anda cá” e é vê-lo a acelerar as patinhas e asinhas para pousar no meu ombro. Está sempre pronto para a brincadeira e, quando não lhe damos a pedida atenção, somos fustigados com voos rasantes e provocadores e aterragens de emergência nos nossos ombros ou cabeça.

O meu periquito é um cão. Pede pão e Fitness da Nestlé e adora brincar com os meus brincos. Vai para casa quando o mandamos, Dá marradinhas no meu nariz como se fossem lambidelas. Adora beijinhos e “brrrrrrrrs” no papo.

Estava o bicho a brincar, numa corda que a minha mãe colocou junto à janela da cozinha, às piruetas, mortais e voltas de cabeça para baixo na dita, qual trapezista de circo, exímio na arte do bom equilíbrio, quando entoo “Raggae, anda cá!”

Nem foi preciso repetir. Com a destreza que apenas o psitácido possui, deu meia pirueta e embarcou num voo certeiro e imediato com aterragem perfeita, para espanto de todos os presentes, sobre o meu nariz.

Comentário do meu irmão, para gáudio da plateia… “Belo heliporto!”

18 comentários:

RP disse...

O que vale é que o teu periquito é um animal pequenino, caso contrário concluiria-se que tens uma narigueta grande.

Adoro gatos. Respeito animais. Respeito pessoas que gostam e tratam bem de animais, pois essas sabem a dimensão do que seres tão simples nos podem dar.

Jorge disse...

Acho que é tão especial que até deve acompanhar com elevada destreza um arrozinho ou umas batatas fritas.

Alexandra disse...

RP,

A intenção do meu irmão era mesmo essa. Mas, no fundo, ele tem ciúmes de não ter nascido com um nariz cheio de personalidade como o meu!

Jorge,

Já sabia que ias dizer isso!!!
Piada fácil? Pensei que conseguisses melhor...

O Raggae é muito refinado. Se lhe ofereceres pão integral, broa de milho, Fitness da Nestlé ou espinafres, ele adora. Arroz e batata frita, não me parece.

Jorge disse...

Note-se que o arroz e batata frita acompanhá-lo-iam num pratinho depois de frito.

Alexandra disse...

Jorge,

1º, passarias fome, uma vez que o bicho é um monte de penas ambulante.

2º, Continuas na piada fácil?

3º O Raggae aprendeu diligentemente a evacuar sobre quem atentar contra a sua integridade física...

RP,

Recebi o email. Desculpa responder aqui, mas o gmail está com problemas de envio e recebo o email de volta.

"Cara Dra Alexandra"??? Era só o que me faltava! Sei que já deixei escapar aqui algumas vezes a minha profissão, mas atenta que este blog não tem qualquer cariz profissional ou académico.

O meu blog não é um blog de doutores. O objectivo do post era, precisamente, gozar com o meu nariz. Aqui só é despropositado quem levar isto muito a sério...

Por isso, descontraia-se e volte sempre!

RP disse...

Ora pois com certeza :) Vou já calçar as minhas pantufas e sentar-me para trás no cadeirão.

Pedro disse...

Como conseguiste domesticar o passarouco? Já tinha ouvido falar de casos assim, mas nc consegui perceber como se "educavam" as aves em questão...

Alexandra disse...

Pedro,

É mais fácil do que se julga!

Primeiro, temos que compreender que este tipo de animais precisa de muita atenção. Ao contrário do que se pensa, bem mais do que um cão. São animais que vivem em bandos e, estando sozinhos,se não tiverem atenção, deprimem-se e podem até morrer. É por isso que os papagaios arrancam as penas e que, em certas espécies, quando morre um do casal, o mais provável é o outro morrer também.

Depois, é habituá-los logo quando chegam a nossa casa. A pegar-lhes, a dar o dedo para subir, falar com eles, assobiar. Vais perceber logo que prestam muita atenção e aprendem muito depressa. São mais inteligentes do que os cães, por exemplo.

Para andarem soltos, é deixá-los sair da gaiola, mas atenção às janelas! É melhor fechar 1 pouco as persianas ou cortinas enquanto eles não adquirirem a noção do que é um vidro. No caso, do Raggae, tirava-o com o dedo (como vês na foto) e depois aproximava-o do vidro e batia no vidro com a outra mão, para ele perceber que estava ali uma barreira. Depois de habituados, podem nem sair com as janelas abertas. Mas não arrisques. Ficam baralhados e podem não conseguir voltar mesmo que o tentem.

Depois, é ensinar-lhes a ir para a gaiola quando mandamos. Primeiro é dificil, mas chegamos lá. O que eu fiz foi dar-lhe incentivos (palavras, festas, cenoura, espinafres) quando obedecia ou deixá-lo mais tempo fechado quando não obedecia.

Depende do bicho, pois as personalidades são diferentes. Já tive uma que aprendia tudo com comida, de tão gulosa que era. Este liga pouco, gosta é de brincar e andar solto por isso é mais por aí...

É preciso ter alguma paciência, como com qualquer outro animal, mas aprendem tudo muito depressa.

Ahhh, tenta não assustá-los... A principal causa de morte nos pássaros é por ataque cardíaco. A frequência deles é muito acelarada...

Bolas, isto foi quase um tratado! Ehehehe!

Patrícia disse...

O Raggae é coisa mais fofa do mundo!A sério, se vissem este passaroco em acção, derretiam-se!Adoro ir a tua casa, só para poder brincar com ele! Essa cena deve ter sido hilariante!

Beijinhos

Patrícia

Maria Strüder disse...

Chato seria se durante as aterragens deixasse presentinhos...
:p
Este Jorge é um insensível

Alexandra disse...

Miúda,

Deixa lá... Desconfio que mais de metade das pessoas que vão lá a casa é só por ele mesmo... Aliás, provavelmente, boa parte dos meus amigos só o são para poderem privar da companhia do tufo de penas.

Tenho que aproveitar essa gente para ajudar na limpeza da gaiola e espaços circundantes!

Alexandra disse...

Maria,

Às vezes acontece... quando fica muito tempo no ombro de alguém...

Curiosamente, em mim é raríssimo. Devo ser a "chosen one" dele!

O Jorge fala, fala, mas ainda vê a Rua Sésamo só por causa do Big Bird!

Pedro disse...

Obrigado pelo tratado! Penso que para já estou esclarecido e quando tiver dúvidas já sei onde venho perguntar. Gostava que o meu cão fizesse 1/3 do que faz o teu periquito, mas a única habilidade que ele faz é arrotar depois de beber leite :\

Jorge disse...

Nada disso. É uma piada bem bonita.

Vejo a Rua Sésamo e o Poupas mas só porque é homossexual. Eu identifico-me muito com ele.

Alexandra disse...

Andam a precisar de óculos...

Onde se vê "acelarada" deveria ser visto "acelerada"...

A Multiópticas faz umas promoções!...

Desculpem lá, calha a todos... :-D

Maria Ostra disse...

Uau, é sobredotado! :))
Também acho piada aos periquitos...nos anos 50, nos EUA, era comum oferecerem periquitos nos dias dos namorados...(às tantas, estou a inventar ou sonhei ou vi num filme...), é que o nome destes passarinhos coloridos, em inglês, é lovebird...
:))

hugo m. disse...

Raaaaagae... fiuuuu, fiiiiiiiiuuuu!

Ana S. disse...

Eu prefiro que me ofereçam chocolates.

Mas o Raggae é um mimo!

A tua paciência...