quinta-feira, setembro 28, 2006

Se a força da mente fosse superior à matéria, então...


Pirilâmpos cândidos e frenéticos que dao vida ao meu crepúsculo, flores de lotus raras e perfeitas que florescem no meio do meu deserto, suspiros com laivos dourados que envolvem uma charlotte de morangos frescos (ai que bom!), correntes de ar transformadas em suaves aragens ao serem bloqueadas por cortinas leves e frescas...

Hoje apetecia-me uma lua grande, magnífica, para andar de bicos de pés a pairar no ar e de cabeça atordoada com chilreados.
Uma lua cheia, de tirar o folêgo, para ir admirar para a praia. Em bicos de pés! Uma noite quente, daquelas que nos fazem respirar com gosto, como se pudéssemos sentir o calor e o aroma de verão em todas as papilas gustativas... Huuuummmm...
Reflexos hipnotizantes de prata sobre as ondas do mar. Ondas suaves, brilhantes a pedirem mergulhos gulosos a dois.
E então, e depois... dançar... dançar... ao som das... toc toc... toc toc...
- Sim???
- Já é tarde, vê lá se baixas essa música para os vizinhos não reclamarem! Mas ainda estás a trabalhar?
- (Não... mais uma vez em busca dos moinhos de vento...)... Pois... distraí-me com as horas, desculpem.

Bolas! De volta à realidade. Da janela do meu quarto, a lua não reflete a luz no mar. Meio escondida entre as nuvens a ameaçarem chuva, continua encantadora... tímida mas encantadora!
Mas quem é que encomendou o Inverno?????
Uma última olhadela ao Outlook, confirmo os prazos, desligo o p.c. e arrumo a confusão de papéis e documentos.
Hoje queria dormir cercada de pirilâmpos. Para ter sonhos gulosos! Daqueles que não terminam nem com o despertador aos saltos!

Se a força da mente for superior à matéria...

2 comentários:

Anónimo disse...

Passaste-te!

alexandra disse...

Sr. anónimo,

Não me passei. Sou passada de natureza.